Arquivo do mês: dezembro 2011

Freeporto faz 20ª edição

 Por Diogo Guedes, 

Publicado no Jornal do Commercio, 17 de dezembro de 2011

Evento literário pernambucano que mais faz jus à alcunha de “festa”, a Freeporto chega hoje, às 18h, no Bairro do Recife, a sua 20ª edição no ano. Para comemorar, o festival organizou uma noite de luau, com o lançamento do Manual da Freeporto, ao lado do Obelisco da Restauração Pernambucana. Ao mesmo tempo, as cidades de Goiana e Paulista organizam suas próprias programações.Com recitais e um breve balanço da atividade, a noite vai ser marcada pela distribuição, para os interessados, do manual, uma espécie de modelo com sugestões para a realização de festas literárias. Segundo o poeta Wellington de Melo, um dos membros do coletivo Urros Masculinos, para criar sua própria Freeporto, só é preciso obedecer a três “regras”: não ter fins lucrativos, não ter mensagens de ódio e ter relação com a literatura. “Na verdade, queremos provocar com o Manual da Freeporto uma reflexão sobre o que constitui um festival literário”, explica.Segundo o autor, o evento, a partir de agora, passa a ser uma marca disponibilizada em Creative Commons. Isso significa que qualquer um poderá organizar suas festas com o mesmo nome a qualquer momento. “Nossa ideia era plantar uma semente, indicar que todo mundo podia fazer eventos literários”, conta o escritor.

Com a ideia espalhada, duas cidades têm a sua própria Freeporto. Em Goiana, a programação da A Free Cana tem três leituras poéticas: no Espaço Dona Solange, às 9h, no Mercado Público, às 12h, e no Ponto de Cultura Alafiá, às 17h. Em Paulista, o evento conta com recitais, intervenções e apresentação dos grupos Subversivos, Tangerina Azul, The Price of Existence e Projeto Gato Atropelado, a partir das 20h.

Para Wellington, esses eventos provam que a Freeporto alcançou seus objetivos nesses três anos de existência, e o testemunho disso é a existência de edições da festa organizadas por outras pessoas que não seus criadores, o grupo Urros Masculinos. Eles não pretendem organizar a festa no próximo ano, mas nada impede que ela volte a acontecer, pelas mãos do coletivo, no futuro.

Ainda segundo o poeta e gestor da área de literatura da Secretaria Estadual de Cultura , o Urros Masculinos deve agora diminuir seu ritmo de atividades, para dar liberdade para os projetos pessoais de cada um de seus membros – além dele, fazem parte do coletivo os escritores Artur Rogério e Bruno Piffardini. Os colegas vão se dedicar a suas carreiras e produções individuais. “Quero, por exemplo, terminar meu primeiro livro de ficção, Estrangeiro no labirinto, para o final do ano que vem”, anuncia o escritor. (D. G.)

Freeporto – hoje, no Bairro do Recife, em Goiana e em Paulista. Programação completa no site: freeporto.wordpress.com.


A Free Cana: FreePorto #23, eixo 2

O negócio tá tão desenvolvido que tem direito até a uma mesma FreePorto com vários eixos temáticos. A Free Cana, de Goiana, vai ter vários. Começa com “Leitura de poemas sentimentais, amorosos e de dor de cotovelo – 9h no Espaço Cultural de Dona Solange, Centro, Goiana-PE. Segue como “Leitura de poemas anti-burocrata, subversivos e de vontade de beber” – 12h, no Mercado Público de Goiana. Depois,  “Leitura e Contrução de poemas concretos com sopa de letrinhas”  a partir das 17h do dia 17/12 no Ponto de Cultura Alafiá! Entra aí, fera! Isso é o pessoal do Silêncio Interrompido, mostrando que não é preciso estar em Recife para fazer as coisas acontecerem!


FreePorto #14, por Aline Andrade

Não há como descrever a felicidade de ver como uma ideia multiplicada assume várias formas e é absorvida para transformar cada encontro em uma festa. Nesse sentido, a gente está muito mais do que satisfeito com essa última FreePorto.

Ontem rolou a de número #14, na Praça da Bandeira, no sítio histórico de Igarassu. A provocadora inicial desta FreePorto, voltada para crianças, foi a querida Aline Andrade, que aliás já tinha participado da FreePorto de 2009. São sementes que se plantam? Momentos lindos os da FreePorto de Igarassu, que aconteceu no dia 14, a partir das 14 horas. Tinha que ser a FreePorto #14, né? Lá vão as fotos, com legendas da própria Aline.

Abertura com cantoria de Viola Seu Lau e Euclides

Recital de poetas crianças

Leitura na praça

Árvore-estante de leitura - As crianças sentavam e liam algumas histórias que penduramos...

Grupo de teatro Mulungu

Freeporto #14 - Praça da Bandeira Igarassu - O maracatu das crianças

Lindo grupo que encheu a tarde de magia e música a partir da tradição oral dos contos populares

Finalizamos com o som do maracatu do grupo de crianças Raízes Sonoras


FreePorto #20, Urros Masculinos


FreePorto #19, Artur Rogério

Raposa se come? Se sim ou se não, foi servida com cação e cachaça, na casa de Marquinhos, que interpretou a raposa na FreePorto 2010. Ok, soou estranho, mas explico logo que ninguém comeu Marquinhos. Naquele dia. Bom, é melhor parar por aqui.

A FreePorto de Artur Rogério foi um encontro entre amigos em que ele cozinhou. Sim, porque escritor, além de participar de eventos literários e dar piti também cozinha. Ou não? Estavam Fernando, Amanda, Isabella e Marquinhos, além do próprio Artur. FreePorto etílico-culinária? Pode ser. Seguem algumas fotos.


FreePorto #18, TCC de Thiago Alex

Entenda: não tem nada de novo na nova FreePorto. São happenings. A diferença é que abrimos mão da ‘marca’ e dissemos que todos poderiam se ‘apropriar’ dela. Por isso que Thiago Alex quis que ao final da apresentação do seu TCC rolasse uma FreePorto, como celebração da literatura e da vida. Rolou na entrada do CE, na Universidade Federal de Pernambuco. Violões, vinho e vozes.


FreePorto #21, por Thiago Alex e o pessoal de Paulista

No mesmo dia 17, outra FreePorto rola em Paulista, integrada no evento Fim de Ano é uma Festa. Essa é mais uma FreePorto de Thiago Alex. Rola recital, no meio de tudo, enquanto o pessoal transmite via stream intervenções de outros coletivos.


FreePorto #23 – A Free Cana

Multiplicam-se as FreePorto pelo mundo. Vai rolar no dia 17 a “A Free Cana”, na Mata Norte, especificamente em Goiana! Quem organiza é o coletivo Silêncio Interrompido. Com direito a exibição de curtas, exposição de fotos e… recital! Vai ser no coreto da Igreja do Amparo, centro da cidade. Seguem as artes que o pessoal bolou. O interessante é notar que não existe mais uma ‘identidade visual’ da FreePorto: cada pessoa cria a sua, com novos nomes para a festa, inclusive. A Free Cana é um calambur e tanto!

 


FreePorto #12, por Daniel Xavier e Dremelgas


FreePorto #17, Johnny Martins: Erótica

O professor e crítico Johnny Martins também resolveu fazer sua festa literária virtual com muita safadeza. Publicou, para seus contatos e a pedidos, uma seleção classe A de poemas eróticos, que vão de Hilda Hilst a Salomão. Sempre ilustrando com uma magnífica obra de arte (pintura ou fotografia) erótica, devidamente ‘interferidos’ com o “F” da Free.

Teve até gente que bloqueou o rapaz, sem nem entender do que se tratava. Em se tratando de FreePorto, polêmica é o de menos. Eis um dos poemas compartilhados por Johnny em sua FreePorto safadjenha!

[FreePorto #17 (Erótica)]

Se eu disser que vi um pássaro
Sobre teu sexo, deverias crer?
E se não fosse verdade, em nada mudará o Universo.
Se eu disser que o desejo é Eternidade
Porque o instante arde interminável
Deverias crer? E se não fosse verdade
Tantos o disseram que talvez possa ser.
No desejo nos vêm sofomanias, adornos
Impudência, pejo. E agora digo que há um pássaro
Voando sobre o Tejo. Por que não posso
Pontilhar de inocência e poesia
Ossos, sangue, carne, o agora
E tudo isso em nós que se fará disforme?

DO DESEJO IV, de Hilda Hilst. In: Do Desejo. [na imagem: AS SENHORITAS DE AVIGNON, de Picasso]


%d blogueiros gostam disto: